FUNDAÇÃO DA OFICINA CHEFE DO RITO ADONHIRAMITA

A FUNDAÇÃO DA OFICINA CHEFE DO RITO ADONHIRAMITA



Coma fundação do Grande Oriente Brasílico sobre a égide do Rito Adonhiramita, que nasceu uma obediência mista (era muito comum na época a potência simbólica governar os graus filosóficos), ou seja, trabalhava e gerenciava, sob um único comando, tanto os graus filosóficos como graus simbólicos. O Rito Adonhiramita sofreu, portanto, um certo abandonado no Grande Oriente do Brasil, durante esse período, só revitalizando-se em 1833, quando foi fundada a Loja “Sabedoria e Beneficência”, em Niterói, (abateu colunas em 1850). Em 1839, surgiu a 2ª loja denominada de Loja “Firmeza e União”, no mesmo ano em que o Grande Oriente do Brasil instituiu o Grande Colégio dos Ritos Azuis, incluindo o Rito Adonhiramita.

Em 1854, com a incorporação regular do Rito Escocês Antigo e Aceito ao GOB do Lavradio, o “Grande Colégio dos Ritos” sofreu uma transformação. Tendo em vista que oficialmente o REAA se incorporaria ao GOB e exigia um governo separado, não poderia ser simplesmente em conjunto com “Grande Colégio de Ritos” ou fundido como era antes. Sendo assim, em 1855 foi criado o “Sublime Grande Capítulo dos Ritos Azuis” (Moderno e Adonhiramita), que comporia colateralmente ao Supremo Conselho do REAA, as Oficinas Chefes dos Ritos. O “Sublime Grande Capítulo dos Ritos Azuis” teve existência curta. Em 1863, menos de dez anos após sua criação, ocorreu a dissidência liderada por Joaquim Saldanha Marinho, onde foi criado o “Grande Oriente do Brasil do Vale dos Beneditinos. Foram as Lojas fundadoras: Caridade, Comércio, Dezoito de Julho, Estrelado Rio, Imparcialidade, Philantropia e Ordem e Silêncio. Em 1865, a novo GOB do Vale dos Beneditinos foi reconhecido pelo Grande Oriente da França e Grande Oriente Lusitano como única potência legal e legitima para o Império do Brasil. A partir deste momento, a maçonaria brasileira cresceu e floresceu por toda Corte. Dez anos após a cisão, Dr. Saldanha Marinho resolve propor ao Visconde do Rio Branco (Grão Mestre do Grande Oriente do Lavradio) a fusão da maçonaria brasileira em uma única grande família para a Corte do Brasil. ​Acordado os termos, a votação para a fusão ocorreu em duas sessões: a primeira em 29 de maio de 1872; a segunda em 4 de junho de 1872; sendo aprovada através do Decreto 01, de 29 de maio de 1872 e o Decreto 02, de 4 de junho de 1872. O Grão-Mestre Provisório nomeado para administrar o novo corpo foi Dr. Antônio Felix Martins (Barão de São Félix). Em setembro do mesmo ano houve as eleições para o cargo de grão-mestre, sendo vencedor por maioria absoluta, Dr. Saldanha Marinho.

​​

O Visconde do Rio Branco sendo derrotado nas urnas e inconformado com resultado, declarou nula a fusão dos dois grandes orientes através do Decreto nº 13, de 16 de setembro de 1872 (seguindo os mesmos preceitos de José Bonifácio, deter para si o poder). A partir da edição do decreto voltaram a atividade as duas potências, ou seja, o Grande Oriente do Brasil do Vale dos Beneditinos e o Grande Oriente do Brasil do Vale do Lavradio. Nesta ocasião passou a existir três potências maçônicas distintas: GOB-L - Grande Oriente do Brasil do Vale do Lavradio; GOB-B - Grande Oriente do Brasil do Vale dos Beneditinos; GOUB - Grande Oriente Unido do Brasil. Além das três potências citadas, existia também uma quarta potência maçônica denominada Grande oriente Brasileiro, conhecido também como Grande Oriente do Passeio - GOP (que esteve adormecido de 1864-1867).

​​

Em 1874, Grande Oriente do Brasil do Vale dos Beneditinos cessou suas atividades sendo extinto definitivamente. Suas lojas se filiaram no GOUB, e uma pequena parte no GOB-L, o restante, no Grande Oriente do Passeio.

No Grande Oriente Unido do Brasil o Rito Adonhiramita foi muito bem sucedido. O número de Lojas trabalhando no rito suplantou aquelas do GOB-L com cinco lojas contra duas. Assim, a nova potência (resultado da fusão de 1872), ou seja, o GOUB criou o “Grande Capítulo dos Cavaleiros Noaquitas” através dos Artigos 31 e 44, Par. 3, e de sua Constituição promulgada através do Decreto Nº 4, de 23 de setembro de 1872. A sessão de nº 1, ocorreu em 3 de outubro de 1872, quando foi realizada a primeira eleição, sendo empossados seus Grandes Oficiais, no dia 9 de novembro de 1872, (sessão nº 2). Seu primeiro Grande-Mestre foi o Visconde de Ponte Ferreira (Dr. João Fernandes Tavares - Rio de Janeiro, 27 de dezembro de 1795 — Rio de Janeiro, 10 de julho de 1874).

No GOB do Lavradio existiam duas lojas: a “Firmeza e União II” (1854) , “Aliança” (1869), para concorrer com Grande Oriente Unido do Brasil foi fundada em 1872, uma terceira loja, denominada de Loja “Redenção” , perfaziam assim, três lojas simbólicas. Com essas lojas, o GOB criou pelo Decreto nº 21, de 2 de abril de 1873, um homônimo, com a mesma denominação social, ou seja, “Grande Capítulo dos Cavaleiros Noaquitas”. Seu Grande-Mestre nomeado foi o Dr. Joaquim José da Cunha Guimaraes.

Em 1883, após o falecimento de Visconde do Rio Branco (José Maria da Silva Paranhos, Visconde do Rio Branco: Salvador, 16 de março de 1819 – Rio de Janeiro, 1 de novembro de 1880), após dez anos da tentativa da de 1872, Dr. Saldanha Marinho tenta novamente unir a família brasileira em um só corpo maçônico, desta vez, com sucesso. Passou a partir de 1883 existir tão somente um único grande oriente (extinção do Grande Oriente do Brasil do Vale do Lavradio e do Grande Oriente Unido do Brasil), denominado de Grande Oriente do Brasil, atual GOB. A Maçonaria Adonhiramita se solidifica em única família brasileira. Em 1883, o novo GOB contava com as seguintes lojas Adonhiramitas:

Aurora, Belém, PA

Discrição, RJ

Fraternidade Alagoana, Maceió, AL

Liberdade e Fraternidade, RJ

Modestia, Morretes, RS

Mistério, RJ

Perfeita Amizade Alagoana, Maceió, AL

Segredo, RJ

União e Fidelidade, Santarém, PA

Liberdade, RJ

Firmeza e União II, MA

Aliança, RJ

Redenção, RJ

Asilo da Prudência, RJ

Frank-Hiramita, RJ

Descrição, RJ

Aliança e Vigilância de Niteroy, RJ

Luiz de Camões, RJ

ARLS AMOR E CARIDADE Nº313

Rua Francisca Massaro Farinha, 385 - Ribeirânia, Ribeirão Preto - SP, CEP 14096-460

Sessões: Sextas-Feiras 20:00h