MANUEL ALVES BRANCO

MANUEL ALVES BRANCO

Grão Mestre do Grande Oriente Brasileiro: 1846-1854




​​

Visconde de Caravelas, advogado, economista, escritor, jornalista, maçom progressista de visão nacionalista e incentivador da industrialização do país. Nasceu em Maragogipe, em 7 de junho de 1797. Membro da Ordem de Cristo e da Rosa. Filho do negociante João Alves Branco e de D. Anna Joaquina Silvestre Branco. Logrou-se em direito pela Universidade de Coimbra (1822), onde também estudou matemática e ciências naturais, voltou à Bahia como juiz e em seguida foi transferido para o Rio de Janeiro. Representante de seu estado na assembleia geral, foi contador-geral do Tesouro (1830-1833) e nomeado Ministro dos Negócios Estrangeiros (1835). Eleito senador pela Bahia (1837) chegou a acumular ao mesmo tempo as pastas do Império e da Fazenda (1937-1839). Na vida publica foi deputado geral, ministro da Justiça, ministro da Fazenda, senador e primeiro Presidente do Conselho de Ministros (Primeiro-Ministro) do Império do Brasil, de 20 de maio de 1847 à 8 de março de 1848. Sócio do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.; Membro do conselho de sua majestade o Imperador. Como escritor deixou várias obras tais como: A fala do trono de 185; Discurso, sermão ou oração, 1850; A Liberdade Poemas ;A primavera Poemas; A proclamação da constituição portuguesa em 24 de agosto de 1820; Coleção de poesias minhas, escritas em 1827;Discurso pronunciado na Câmara dos Deputados na sessão de 18 de maio de 1832; Discurso, sermão ou oração. 1832; Florilégio da poesia brasileira, 1850; Memória sobre o Rio da Prata; Parnaso brasileiro,1843. Elaborou o Código de Processo Criminal, aprovado em 29 de novembro de 1832. Foi condecorado com o oficialato da Ordem do Cruzeiro. Foi Grão Mestre do Grande Oriente Brasileiro em 1846. Faleceu na cidade de Niterói em 13 de julho de 1855.

Posts recentes

Ver tudo

CARLOS HONÓRIO DE FIGUEIREDO

DR. CARLOS HONÓRIO DE FIGUEIREDO Grão-Mestre: 1861-1863 ​ Advogado, escritor e diplomata brasileiro. Nasceu na cidade em Sacramento, Recife, PE em 1823. Filho do Brigadeiro Joaquim Bernardo de Figueir