PEDRO ERNESTO ALBUQUERQUE DE OLIVEIRA

PEDRO ERNESTO ALBUQUERQUE DE OLIVEIRA

Grão Mestre do Grande Oriente Brasileiro: 1867-1871




​​


Médico homeopata e cientista, professor, jornalista e escritor, maçom liberal republicano. Nasceu em Lisboa por volta de 1834, naturalizando-se brasileiro em 1858 conforme Carta de Naturalização assentada no livro BRRJAGCRJ.CM.NAT46.4.1 pgs. 187/188, expedida em 25/05/1858. Logrou-se em medicina pela Faculdade de Medicina de Lisboa. Em 1856 já atuava como professor de medicina homeopata na Escola de Homeopatia do Império do Brasil. Foi professor de medicina e farmácia na Escola Homeopática do Brasil e medico de Enfermaria do Hospital de São Vicente de Paulo, na Corte, professor de Medicina Legal da província de São Paulo; membro de diversas corporações médicas, científicas e literárias. Autor de diversas obras e outros escritos, sobre medicina, literatura, historia, viagens, costumes, política, tais como: Tratado de Medicina Homeopática, 1852 (A 2a EDIÇÃO DE1857); Pathogenesia Homeopathica Brasileira, 1856; Apêndice: A Pratica Elementar de Homeopathia, 1857; Guia Medica (Homeopathia das Famílias); 1858; Memoria sobre o Cólera Morbus, 1855; Memoria Sobre o Magnetismo e Sonambulismo, 1853; Estudos sobre os Diferentes Sistemas Médicos, 1864; Deveres do Homem (Para Uzo da Infância), 1865; Memoria sobre o Infanticídio, 1857; O Medico Popular: Jornal Medico, 1851; O Athleta: Jornal Medico, 1851. Escreveu, além de artigos em jornais sobre indústria, artes, literatura, história e política, publicados de 1851 a 1870, os seguintes trabalhos": O O Escravo Fugido: Romance Brazileiro. 1864; Episodio do Carnaval: Romance Brazileiro, 1864; Castigo Singular: Romance Brazileiro. 1864; Hippolyto e Isabel, 1860; A Vingança: Romance Brazileiro, 1851. Foi redator nos jornais: O Medico Popular: Jornal Médico, 1851; O Athleta: Jornal Médico, 1852; O Cosmopolita: Jornal Litterario e Scientifico, 1854; O Echo do Povo: Jornal de Interesses Populares, 1857; O Monitor Brazileiro: Jornal Político, 1858; O Vigilante:, Jornal Maç:. 1870-1871; Resumo Analytico e Demonstrativo dos Estatutos e Organização da Sociedade Protectora dos Empregados Públicos e Monte-Pio Popular. Rio De Janeiro, 1876. Como jornalista, fundou e redigiu jornais de propaganda médica e outros como segue: "O Cosmopolita", 1854; "O Eco do Povo", 1871; "O Monitor Brasileiro", 1858; "O Vigilante" Jornal Maçônico, 1870-1871. Foi secretário do Instituto Episcopal Brasileiro, quando dedicou parte de sua vida a escrever diversos romances e literaturas. Foi graças aos esforços do Dr. Pedro Albuquerque que fundamentou a oficialização das farmácias homeopáticas no Brasil, através do Decreto Imperial nº 9.554 de 03 de fevereiro de 1886. Sua primeira clínica homeopática oficialmente no Brasil foi instalada em 1857 na cidade de Campinas, sito rua de Santa Teresa. Em 1864, suas obras sobre homeopatia foi considerado Lei para as escolas homeopáticas do Brasil, sendo editados quatro volumes, conforme publicado no Jornal do Comercio. Na maçonaria assumiu todos os cargos e pertenceu a diversas lojas maçônicas filiadas ao Grande Oriente Brasileiro, único e legal para o Rito Escocês Antigo e Aceito naquela época no Império do Brasil. Quando do adormecimento da dita potência em 1863 (crise politica na maçonaria brasileira), ele ficou fiel e manteve seu cargo de delegado ate a restauração da mesma corporação em 1867, ocasião em que foi aclamado pelos maçons republicanos Grão Mestre Interino do Grande Oriente Brasileiro ou do Passeio (1867-1871). Em 23 de novembro de 1867, fundou na cidade de Campinas, a Loja Maçônica Independência existente ate os dias atuais. Era um defensor da maçonaria republicana para a glória e o crescimento do Brasil, combatendo intensamente a maçonaria monarquista e arcaica criada no Brasil por José Bonifácio de Andrade e Silva.

ARLS AMOR E CARIDADE Nº313

Rua Francisca Massaro Farinha, 385 - Ribeirânia, Ribeirão Preto - SP, CEP 14096-460

Sessões: Sextas-Feiras 20:00h